até
1978 | Congressos

CONTEXTO

Com o tema “Estrutura Sindical Brasileira”, realizou-se o III Congresso do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema em dois finais de semana, nos dias 6,7,8,14 e 15 de outubro de 1978, na cidade de Guarujá -SP.

Além dos 400 inscritos, também participaram militantes e dirigentes sindicais de outras categorias profissionais com direito a voz e voto, como foi o caso de Olívio Dutra (pres. do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre/RS), João Paulo Pires (pres. do Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade/MG), Jacó Bittar (pres. do Sindicato dos Petroleiros de Paulínia/SP), Henos Amorina (pres. do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco/SP), Hélio Bombardi (membro da oposição metalúrgica de São Paulo), entre outros.

A participação de sindicalistas de outras categorias foi uma demonstração de que as condições políticas para os trabalhadores e o movimento sindical foram alteradas significativamente desde o congresso anterior. O movimento grevista, iniciado a partir da paralisação da Scania, as manifestações pela redemocratização do país lideradas por instituições democráticas e populares, a campanha pela reposição salarial dos 34,1% realizada em 1977 e o papel que o Sindicato começa a assumir no cenário político nacional, como uma das principais instituições representativas da sociedade civil, contribuíram para que o III Congresso se realizasse dentro de um estágio de mobilização e de qualidade da militância superior ao dos congressos anteriores.

A participação da militância de forma organizada foi decisiva na construção das resoluções. Sua intervenção se deu basicamente em três vertentes: a primeira, de militantes ligados a grupos e tendências políticas trotskistas; a segunda, grupos e tendências políticas leninistas, stalinistas e de militantes originários de organizações operárias ligadas à Igreja Católica (Ação Católica); e a terceira vertente, composta por aqueles militantes independentes, que descobriram a atuação sindical a partir das lutas e iniciativas do Sindicato, portanto, muito afinados com as propostas da diretoria.

As duas primeiras vertentes constituíram o que se denominou de Grupão, que reunia cerca de 80 militantes, a partir de um racha que se deu em função das diferentes análises que se faziam da diretoria e das propostas a serem defendidas no Congresso. A primeira vertente, minoria no Grupão, assume uma postura de confronto com a diretoria do Sindicato e acaba se isolando no congresso. A segunda vai com objetivo de contribuir positivamente com a diretoria do Sindicato, permitindo a constituição de uma ampla maioria em torno da direção.

As discussões sobre o tema “Estrutura Sindical Brasileira” dividiram-se nos seguintes subtemas: Autonomia e Liberdade Sindical, Unidade e Pluralidade Sindical, Contrato e Convenção Coletiva, Eleições Sindicais, Receita e Despesa;,e Imposto Sindical.

Nas semanas que antecederam a realização do congresso, o Sindicato organizou 8 palestras com intelectuais, juristas e pesquisadores do movimento sindical que foram fundamentais na preparação dos delegados ao congresso, isso porque constituíam-se, em sua grande maioria, de jovens trabalhadores que ingressaram na vida sindical e política a partir dos movimentos grevistas recentes.

A presença de “olheiros” clandestinos, de algumas empresas e possivelmente dos agentes de repressão credenciados como delegados não inibiram a força dos debates nos grupos de trabalho e nas plenárias do congresso.

As resoluções desse III Congresso, ainda atuais, vêm se mantendo como valores fundamentais, que se expressam na prática e na concepção sindical dos dirigentes que estiveram à frente da direção do Sindicato nestes mais de 20 anos.

A partir do III Congresso, o movimento sindical inicia o processo de construção das comissões de fábrica na categoria e de construção da CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Imprimir contexto
RESOLUÇÕES

DOCUMENTOS

DIVULGAÇÃO
Clique nas imagens para ampliar
ESTATÍSTICAS
Clique nas imagens para ampliar
REPERCUSSÃO NA MÍDIA
Clique nas imagens para ampliar
IMAGENS
Clique nas imagens para ampliar
IMPRENSA SINDICAL
DEPOIMENTOS
Clique nas fotos para ler os depoimentos:

Devanir Ribeiro

Elias Stein

Demerval Júlio de Grammont

Expedito Soares Batista

Gervison Marcos Melão Monteiro

Osmar Santos de Mendonça

Hélio Bombardi

João Batista Rocha Lemos

Arquimedes Andrade

Luiz Inácio Lula da Silva
CAMPANHA SALARIAL
Veja o que aconteceu na Campanha Salarial em 1978
ELEIÇÕES
Reveja os detalhes da eleição de 1978
MANDATOS
Conheça diretores e cargos entre 1975 e 1978.
© Copyright 2009, ABC de Luta! Memória dos Metalúrgicos do ABC - Todos os direitos reservados

Mapa do Site Fale Conosco Créditos Política de Privacidade

smabc.org.br