até
1993 | Eleições

CONTEXTO

É no processo eleitoral deste ano que o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema e o Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra resolvem iniciar a unificação das suas bases sindicais para ampliar a representação e, conseqüentemente, o número de filiados. Dessa maneira, as campanhas salariais e todas as atividades políticas do novo sindicato seriam fortalecidas.
As discussões sobre as montagens das chapas são feitas separadamente. Ambas receberam o apoio das duas diretorias. As duas militâncias discutem a indicação dos nomes por empresa e realizam convenções separadas. O Sindicato de Santo André homologa 30 nomes e o de São Bernardo e Diadema, 34.
Numa convenção final, unificada, os nomes são aprovados, tendo Vicentinho para mais um mandato.
A Chapa Única recebe 77.865 votos, dos 79.669 válidos (97,7%). Surge então o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, com 140 mil metalúrgicos na base, 100 mil sindicalizados.

Imprimir contexto
CHAPAS
APURAÇÃO DOS VOTOS
Chapa 1 77865
Brancos 853
Nulos 951
Total de votos 79669
PROPAGANDA DAS CHAPAS
Clique nas imagens para ampliar
REPERCUSSÃO NA MÍDIA
Clique nas imagens para ampliar
IMAGENS
Clique nas imagens para ampliar
DEPOIMENTOS
Clique nas fotos para ler os depoimentos:

Tarcísio Secoli

Carlos Alberto Grana

Joel Fonseca Costa

João Martins Lima, Tiziu
CAMPANHA SALARIAL
Veja o que aconteceu na Campanha Salarial em 1993
CONGRESSOS
Congressos realizados no ano de 1993
MANDATOS
Conheça diretores e cargos entre 1990 e 1993.
© Copyright 2009, ABC de Luta! Memória dos Metalúrgicos do ABC - Todos os direitos reservados

Mapa do Site Fale Conosco Créditos Política de Privacidade

smabc.org.br