até
1982 | Campanhas Salariais

CONTEXTO

Além das demissões e da recessão do ano anterior (não houve greve em 1981 e, mesmo assim, 41 mil trabalhadores foram demitidos), outro desafio enfrentado pela diretoria do Sindicato foi o processo de automação na indústria automobilística e as novas formas de gestão de empresas.

A primeira manifestação do Sindicato contra a robotização ocorreu em 19 de janeiro, na porta da Volks, onde os trabalhadores reivindicavam o controle sobre a implantação de novas tecnologias. Paralelamente, era iniciada a luta pela criação imediata do seguro-desemprego.

O desemprego atinge as fábricas e a capacidade de mobilização política fica bem menor do que nos anos anteriores. Nas negociações, os patrões oferecem, através da Fiesp, um índice de produtividade que variava de 0 a 4%, em função do tamanho da fábrica. No julgamento do dissídio pelo TRT, é aprovado um novo índice de 7% de aumento. Porém, os patrões solicitam efeito suspensivo e recorrem ao TST, que define o índice de 4% para todos.

Imprimir contexto
PAUTA DE REIVINDICAÇÃO

CONVENÇÃO E ACORDO

DIVULGAÇÃO
Clique nas imagens para ampliar
REPERCUSSÃO NA MÍDIA
Clique nas imagens para ampliar
IMAGENS
Clique nas imagens para ampliar
IMPRENSA SINDICAL
DEPOIMENTOS
Clique nas fotos para ler os depoimentos:

Paulo Sergio Ribeiro Alves

Vicente Paulo da Silva

Osvaldo Martines Bargas

Josimar Alves Bezerra

Luiz Marinho
MANDATOS
Conheça diretores e cargos entre 1981 e 1984.
© Copyright 2009, ABC de Luta! Memória dos Metalúrgicos do ABC - Todos os direitos reservados

Mapa do Site Fale Conosco Créditos Política de Privacidade

smabc.org.br