até
1981 | Campanhas Salariais

CONTEXTO

Nem o impacto de milhares de demissões e a intervenção no sindicato desestimulou a organização da campanha salarial.

A sede do Fundo de Greve, instalada nas proximidades da Cooperativa da Volks, funcionou como local de organização dos trabalhadores. Lá, os diretores sindicais afastados e os ativistas reuniam-se e discutiam os encaminhamentos da campanha. Os dizeres dos panfletos de convocação para as atividades resumiam a postura adotada pelos organizadores: “Vamos botar fogo nessa Campanha! ... Nosso sindicato continua nas mãos dos patrões e do governo.

Interviram na nossa casa, mas não na nossa consciência. Sindicato somos nós !!!”
Nos bairros aconteceram reuniões para definição da pauta de reivindicações que, posteriormente, foi debatida e aprovada em assembléia da categoria na Praça da Igreja Matriz. Dentre os principais itens destacavam-se: garantia de emprego, jornada de trabalho de 40 horas com os sábados livres sem redução de salários, fim das intervenções nos sindicatos e supressão de todas as leis que atentem contra a liberdade e autonomia sindical, salário mínimo real e unificado em âmbito nacional que atenda as necessidades mínimas dos trabalhadores.

Com a declaração da FIESP de não negociar reivindicações com interventores, o governo apressou-se em nomear uma Junta Governativa. No entanto, a Junta nomeada para administrar o sindicato até a eleição e posse de uma nova diretoria, foi presidida por Afonso Monteiro da Cruz, ex-dirigente sindical simpático à atuação da diretoria afastada. Com sua posse, a campanha salarial pôde contar com os recursos materiais do Sindicato e os diretores cassados reassumiram física e politicamente os cargos. As panfletagens nas portas das fábricas eram realizadas pela diretoria afastada conjuntamente com a provisória. As últimas assembléias gerais retomaram o Estádio de Vila Euclides como local de organização da categoria.

Com o aprofundamento da recessão econômica e demissões na categoria, as negociações se encaminharam pela aprovação da contraproposta da FIESP.

Imprimir contexto
PAUTA DE REIVINDICAÇÃO

CONVENÇÃO E ACORDO

DIVULGAÇÃO
Clique nas imagens para ampliar
REPERCUSSÃO NA MÍDIA
Clique nas imagens para ampliar
IMAGENS
Clique nas imagens para ampliar
IMPRENSA SINDICAL
DEPOIMENTOS
Clique nas fotos para ler os depoimentos:

Manoel Anísio Gomes

Geovaldo Gomes dos Santos

Alberto Eulálio

João Paulo de Oliveira
ELEIÇÕES
Reveja os detalhes da eleição de 1981
MANDATOS
Conheça diretores e cargos entre 1978 e 1981.
© Copyright 2009, ABC de Luta! Memória dos Metalúrgicos do ABC - Todos os direitos reservados

Mapa do Site Fale Conosco Créditos Política de Privacidade

smabc.org.br