até
1997 | Metalúrgicos do ABC

Protesto em Defesa do Emprego e do Salário
CONTEXTO
Na manhã de 11 de dezembro de 1997, a diretoria do Sindicato foi às portas das principais empresas da base para organizar os trabalhadores, que, após a realização de assembléias, paralisam suas atividades e seguem em várias passeatas pelas vias e ruas da cidade rumo ao Paço Municipal. Cada passeata saiu de um lugar diferente e seguiu um roteiro próprio, contando com a participação dos trabalhadores de diversas empresas, sendo que, as maiores foram a da Volkswagem, Ford, Scania e Mercedes.
O ato, que contou com a participação de mais de 30 mil trabalhadores, marcou o início de uma reação da categoria em repúdio à política econômica do governo que, somada às privatizações e ao descaso às demandas sociais, facilitou a entrada de produtos importados, prejudicando diversas empresas no Brasil e agravando o desemprego.
Este período se pautou por diversas demissões, principalmente na região do ABC, entre estas as da Cofap, Nordon, Arteb, ameaças de corte de 10 mil empregos na Volkswagen e mais de mil na Ford, ameaçando também as empresas do setor de autopeças, além de outros ramos de atividade da cadeia produtiva.
Durante a manifestação, os trabalhadores formaram a palavra “EMPREGO” com seus próprios corpos, lembrando o episódio da greve de 1979 quando, de forma semelhante, escreveram a palavra “DEMOCRACIA”.
Imprimir contexto
REPERCUSSÃO NA MÍDIA
Clique nas imagens para ampliar
IMAGENS
Clique nas imagens para ampliar
IMPRENSA SINDICAL

VÍDEOS
Protesto em Defesa do Emprego
1997
DEPOIMENTOS
Clique nas fotos para ler os depoimentos:

Evandro Dias Sampaio, Carrapicho

Rafael Marques da Silva Junior
CAMPANHA SALARIAL
Veja o que aconteceu na Campanha Salarial em 1997
MANDATOS
Conheça diretores e cargos entre 1996 e 1999.
© Copyright 2009, ABC de Luta! Memória dos Metalúrgicos do ABC - Todos os direitos reservados

Mapa do Site Fale Conosco Créditos Política de Privacidade

smabc.org.br